Coronavírus: Prefeitura pede à população que evite aglomerações nas unidades de saúde

Coronavírus: Prefeitura pede à população que evite aglomerações nas unidades de saúde
 A Prefeitura de Porto Velho, orientada pela Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), através do Departamento de Vigilância, orienta que a população a partir desta quinta-feira (19), só compareça nas unidades de pronto-atendimento do município se apresentar agravamento do quadro gripal, como dificuldade respiratória e febre persistente por mais de três dias, ou outras doenças que necessitam de atendimento de urgência.

De acordo com a secretária-adjunta da Semusa, Marilene Penatti, neste momento é necessário evitar a disseminação da síndrome gripal, sendo recomendado evitar o contato físico com outras pessoas e aglomerações, principalmente em hospitais e unidades de saúde.

“Nesse momento, tentando diminuir a transmissão da síndrome gripal é necessário permanecer em casa e mesmo se tivermos os sintomas de febre, coriza, tosse, e dores no corpo, devemos evitar o contato físico com as pessoas de forma geral”, enfatizou a secretária adjunta.

Ainda de acordo com ela, o município enfrenta o inverno amazônico, onde é natural que as pessoas nesta época apresentem quadros de resfriados, alergias e gripe com mais facilidade e, a forma de evitar a contaminação é não haver aglomerações. Por este motivo é importante que a população evite procurar os serviços de saúde de urgência nas UPAS e pronto-atendimentos sem necessidade.

Tratamento

O exame para o coronavírus não muda a conduta sobre a orientação do tratamento que é comum a todos os casos de gripe: remédio para febre ou dor, lavagem das narinas, repouso, ingestão de muito líquido e alimentos saudáveis, permanecer em ambientes abertos e arejados a maior parte do tempo, lavagem das mãos para desinfecção várias vezes ao dia, evitando ambientes fechados e grande fluxo de pessoas.

Orientações

É importante que as pessoas que apresentem quadros gripais usem as máscaras como forma de prevenir os outros ao redor. “Vamos deixar nossos pronto-atendimentos para os casos que sejam de emergência, caso haja piora dos sintomas já mencionados, como dificuldade para respirar ou engolir” finaliza a secretária-adjunta.

 

 

Fonte:rondoniagora.com

Sobre Rafael Rigon