Empresas de telefonia lideram ranking de reclamações no Procon

Empresas de telefonia lideram ranking de reclamações no Procon
 Disparadas à frente dos setores que mais registram reclamações no Serviço de Proteção ao Consumidor em Rondônia (Procon), as empresas de telefonia móvel e internet, somente este ano, já acarretaram 3.462 atendimentos no órgão. O total de atendimentos no período de janeiro ao último dia 5 é de 13.908 em todo o estado.

Segundo as estatísticas fornecidas pelo coordenador estadual do Procon, Estevão Ferreira, se comparado ao mesmo período de 2018, de 1 de janeiro a 5 de setembro os números de atendimentos presenciais deste ano tiveram uma queda, sendo registrado o total de 21.403. A diferença em relação ao ano passado é de 1.376 atendimentos a menos.

“Isso se deve à novidade lançada pela Secretaria Nacional do Consumidor, do Governo Federal, que facilitou a busca pelos serviços do Procon através da página consumidor.gov.br ou aplicativo para o celular. Com essa comodidade muitas pessoas já deixaram de procurar o serviço presencial, resolvendo seus problemas de consumo diretamente no serviço online”, explica Estevão.

O prazo médio de resposta do Procon ao consumidor, tanto online quanto presencialmente é de 6,5 dias, com um índice de solução de 81%. São mais de 450 empresas cadastradas, de segmentos que estão sempre na lista dos mais reclamados, como telecomunicações, bancos, e-commerce, aviação civil, indústria e varejo.

Expansão

Atualmente, o Procon estadual oferece atendimento em seis municípios: Porto Velho, Guajará Mirim, Ariquemes, Ji-Paraná, Rolim de Moura e Vilhena. Fora os estaduais, os municípios com os quais existe um Termo de Cooperação Técnica, que tiveram servidores treinados pelo Procon estadual e possuem a concessão para atendimentos e gestão do sistema do órgão nas localidades são: Ouro Preto D’Oeste (ainda em fase de treinamento), Cacoal, Espigão D’Oeste e Pimenta Bueno.

“Agora estamos em fase de conversação com a Sedi e Sepog, e queremos implantar mais três unidades estaduais nos municípios de Jaru, São Francisco do Guaporé e Cerejeiras. Nestes dois últimos, já temos até os prédios que ainda serão avaliados se estão dentro dos critérios para a instalação do órgão, mas a intenção é que até o final do ano os três já possam contar com o serviço do Procon presente”, revela o coordenador, Estevão Ferreira.

Para oferecer ainda mais qualidade no serviço e melhores condições de trabalho, em Ariquemes, que é a segunda maior em termos de números de atendimento, o órgão irá mudar-se para o prédio do antigo Fórum Civil da cidade. “Estamos buscando ampliar nossos serviços no estado, melhorar os espaços e oferecer ainda mais facilidade aos usuários, sempre mantendo a credibilidade e idoneidade na proteção dos direitos dos consumidores em Rondônia”, conclui Estevão.

 

Fonte:rondoniagora.com

Sobre Rafael Rigon