Equipes de buscas não encontraram barco, objetos ou corpos de desaparecidos no Rio Madeira

Equipes de buscas não encontraram barco, objetos ou corpos de desaparecidos no Rio Madeira
 Equipes do Corpo de Bombeiros e da Marinha do Brasil em Porto Velho, continuam buscas no Rio Madeira nesta quinta-feira (12), na tentativa de localizar o cinegrafista da Rede Amazônica Clebson Ribeiro da Cunha (foto), a irmã dele Cleidiane Ribeiro da Cunha, e um sitiante. Eles desapareceram na última sexta-feira (6), quando tentavam cruzar o rio. As buscas devem durar até o final da sexta-feira (13).

Testemunhas relataram para o Corpo de Bombeiros, que chegaram a ver a embarcação com as três pessoas cruzando o rio, mas logo depois não viram mais o barco, que possivelmente pode ter virado. No momento do acidente, chovia forte e ventava bastante.

O capitão Mário Vergotti, explicou que existem algumas dificuldades enfrentadas pelos militares durante as buscas como a área onde estão sendo realizadas os trabalhos, que é muito extensa, água muito turva, o leito do rio possui vário fossos, madeiras descendo de forma ininterrupta, galhadas de árvores, e a área onde teria ocorrido o naufrágio possui grande profundidade.

Com o encerramento das buscas, e a não localização dos desaparecidos, o procedimento de praxe é que a família abra um processo judicial de declaração de morte presumida, conforme preconiza o Código Civil.

 

Fonte:rondoniagora.com

Sobre Rafael Rigon