Governo recebe os 100 mil testes e anuncia que até UPAs poderão realizar coletas

Governo recebe os 100 mil testes e anuncia que até UPAs poderão realizar coletas
 A chegada dos 100 mil testes rápidos em Rondônia comprados pelo Governo foi anunciada pelo secretário de Estado da Saúde, Fernando Máximo, durante coletiva realizada na manhã desta quarta-feira (20).

Os testes foram comprados em abril deste ano e chegaram durante a manhã em uma aeronave do Corpo de Bombeiros. No mesmo voo, os militares trouxeram 50 bombas de infusão adquiridas pelo Estado, que segundo o secretário são necessárias para se juntar aos respiradores para que sejam montados os leitos de UTI. “Nove dessas bombas ficaram em Cacoal, e 41 foram encaminhadas para Porto Velho, onde há um número maior de casos”, disse Fernando Máximo.

Fernando Máximo disse que os testes são importantes para que a secretaria possa ter diagnósticos mais fidedignos, e assim o estado tenha um controle epidemiológico dos pacientes que tem ou que já tiveram a doença. “Pessoas que já tiveram síndrome gripal vão poder realizar os testes para saber se já tiveram a doença. Se tiveram e foram curados sem agravamento, vão entrar para estatísticas de positivados e curados”, explicou.
Em Porto Velho, os testes poderão ser feitos nas UPAs. No interior, serão disponibilizados nas Unidades Básicas de Saúde.

Perfil de quem pode fazer

O teste rápido não pode ser feito antes do sétimo dia de sintomas, segundo explicou Fernando Máximo, ressaltando que a pessoa precisa estar apresentando todos os sintomas da Covid-19.

Falta de profissionais

A falta de profissionais é um dos problemas enfrentado pelo Estado. O secretário aproveitou a oportunidade para fazer um chamamento aos profissionais de saúde. “Eu peço que todas as pessoas que são da área da saúde, fiquem de olho nos nossos editais de contratação para que elas possam fazer parte da nossa equipe de combate. Estamos montando hospitais novos e precisamos de profissionais da área da saúde. Mais de 1.500 servidores da saúde já foram convocados para compor o quadro”, disse.

Guajará-Mirim

Uma equipe composta por médicos, enfermeiros, profissionais do Corpo de Bombeiros e Defesa Civil, está sendo enviada na tarde desta quarta-feira para prestar apoio ao Município, que registrou um aumento no número de mortos. “Eu, juntamente com toda essa equipe, estou me deslocando para Guajará-Mirim que está passando por um problema grave de calamidade. Nós precisamos unir forças para ajudar a população daquela cidade”, finalizou Fernando Máximo.

 

 

Fonte:rondoniagora.com

Sobre Rafael Rigon