Servidores do João Paulo II e Hospital de Base infectados com Coronavírus somam 320; 85 estão curados

Servidores do João Paulo II e Hospital de Base infectados com Coronavírus somam 320; 85 estão curados
 O secretário de Estado da Saúde, Fernando Máximo informou na manhã desta terça-feira (12) que 85 servidores que apresentaram resultado positivo para Coronavírus já estão curados. Ele anunciou ainda os avanços nas tratativas para a construção do novo Hospital de Emergência e Urgência de Rondônia (Heuro).

Atualmente 180 pacientes estão internados, desses, 88 estão em UTI e 92 internados em enfermaria.

De acordo com Fernando Máximo, 320 profissionais da saúde que atuam no Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro e no Hospital João Paulo II, estão infectados com a doença. No total 820 foram afastados de suas atividades. “Lembrando que tem alguns servidores que estão afastados porque são do grupo de risco”, disse Fernando Máximo.

O titular da pasta da Saúde disse ainda que mais de 600 servidores foram submetidos ao teste para Covid-19 e apresentaram resultado negativo. “Todos esses profissionais já voltaram ao trabalho”, informou.

Novo Hospital João Paulo II.

O secretário informou que as tratativas para a construção do hospital não pararam e na próxima quinta-feira (14), às 10 horas, acontece uma videoconferência para sondagem de mercado (Market Sounding), em São Paulo) sobre a unidade hospitalar.

De acordo com Fernando Máximo participam da sessão, o governador de Rondônia, o secretário estadual de saúde e a equipe da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (Fespsp), instituição contratada para conduzir o projeto de modelagem financeira, que desenvolveu um estudo completo e detalhado de viabilidade econômica, financeira e social do hospital.

EPIs

Durante a coletiva, Marcelo Brasil, gerente da central de abastecimento farmacêutico de materiais e insumos hospitalares, se pronunciou sobre a denúncia dos profissionais da área da saúde estadual sofre falta de condições de trabalho e de equipamentos de proteção individual (EPIs) para atuarem na pandemia. “Esses materiais não estão faltando. Nós estamos seguindo o protocolo da Organização Mundial de Saúde (OMS). A cartilha fala sobre o uso racional e responsável desses EPIs”, esclareceu.

O gerente afirmou ainda que o estoque está abastecido de materiais. “Nós estamos dispensando esses materiais dentro do protocolo porque não só nós, mas o mundo inteiro está com problema de abastecimento desses itens. Semanalmente os matérias chegaram em nossos depósitos”, explicou Marcelo Brasil.

Testes rápidos

No dia 7 de abril deste ano, o secretário anunciou a compra de 100 mil testes rápidos para serem distribuídos para todos os municípios. Inicialmente, os kits chegariam no dia 12 de abril, mas houve problema na entrega e atrasou. “Recebemos a informação de que a carga já está no Brasil, no aeroporto de São Paulo, aguardando liberação da alfândega e da Anvisa para que seja liberada e encaminhada para Porto Velho”, disse Fernando Máximo.

Sobre a distribuição desses testes, o secretário informou que serão distribuídos nas unidades públicas do estado e dos munícipios.

 

 

Fonte:rondoniagora.com

Sobre Rafael Rigon