Sesau apresenta avanços na realização de cirurgias eletivas na Comissão de Saúde

Sesau apresenta avanços na realização de cirurgias eletivas na Comissão de Saúde
 Na manhã desta terça-feira (5), a Comissão de Saúde, Previdência e Assistência Social da Assembleia Legislativa, sob a presidência do deputado Adailton Fúria (PSD) e com a participação dos deputados Dr. Neidson (PMN), Cássia Muleta (Podemos), Chiquinho da Emater (PSB) e Luizinho Goebel (PV), receberam o secretário de Estado de Saúde (Sesau), Fernando Máximo para apresentar dados referente a realização de cirurgias eletivas e fila de esperas.

Referente ao número de cirurgias eletivas realizadas de janeiro a outubro deste ano, o secretário destacou que foram feitos 11.570 procedimentos, sendo que no ano 2018 foram realizados 7.903. “Até outubro temos um crescimento de 49% e até o final do ano chegaremos a 65%. Para atender a demanda das cirurgias oftálmicas, contratamos uma empresa terceirizada para atender os pacientes de cirurgia de Catarata e com isso conseguimos zerar a fila de espera de Porto Velho, no feriado da Proclamação da República realizaremos mais 400 procedimentos. Até o final do ano iremos zerar também toda a região Madeira-Mamoré e até junho de 2020 iremos zerar a fila de Rondônia”, apontou.

O secretário evidenciou ainda que para reduzir a fila de espera de cirurgias pediátricas, a Sesau está realizando constantemente um corujão no Hospital de Base “o que resultou na realização de 1.353 cirurgias em 10 meses, contra 825 do ano de 2018”, disse.

De acordo com o deputado Dr. Neidson, alguns procedimentos cirúrgicos precisam ser analisados com mais atenção, pois alguns pacientes estão há anos esperando por essa intervenção e a secretaria deve tomar providências urgentes referente aos atendimentos realizados no JP II.

Estratégias

Segundo Fernando, algumas estratégias já foram elaboradas para agilizar a realização das cirurgias eletivas que estão na fila de espera. Entre elas, Consultoria do Hospital Sírio Libanês na Gestão Hospitalar, implantação do Complexo Regulatório Estadual, de Núcleos Internos de Regulação dos Hospitais Estaduais, atualização da fila do Sisreg através de um “Mutirão de limpeza de fila”, aumento de sala de cirurgia para oftalmologia, de ortopedia e implantação de um Centro Cirúrgico do HBAP funcionando de domingo a domingo no terceiro turno.

Com relação aos valores gastos com leitos particulares, o presidente da comissão, Adailton Fúria sugeriu a implantação de uma casa de apoio do Estado para receber os pacientes fora de risco. “Eles poderiam receber acompanhamento nessa casa de apoio ou até nas suas casas, enquanto aguardam seus procedimentos. Acredito que assim, alguns desses leitos não seriam necessários”, diz.

Em resposta ao requerimento encaminhado pela comissão, o secretário apontou ainda informações referente a situação das obras do Hospital Regional de Guajará-Mirim. “Essa obra ficou parada por 283 dias. Em janeiro ela foi reiniciada por meio de acordo judicial e a empresa apresentou cronograma para conclusão em junho deste ano, contudo, ela está paralisada por parte da empresa que não dispõe de trabalhadores do canteiro de obras. Estamos analisando os meios jurídicos para resolver essa questão que já se arrasta por anos”, explica.

Por fim, o secretário de saúde ressaltou que muitas ações ainda serão realizadas para garantir o atendimento adequado para os rondonienses e que o apoio dos deputados na aprovação de projetos do Executivo está proporcionando resultados imediatos e positivos na solução de problemas que atingem a saúde pública.

 

 

Fonte:rondoniagora.com

Sobre Rafael Rigon